Fantasporto 2024 – 4,5 e 6 de Março.

| Lido 1.163 vezes
Fantasporto 2024

É a 2ª parte da programação da 44ª edição do Fantasporto – Festival Internacional de Cinema do Porto, a decorrer no Batalha Centro de Cinema de 1 a 10 de Março. Abaixo poderão conhecer mais alguns dos filmes a ser exibidos na Sala 1. As informações são as fornecidas pela organização do festival. Podem também aceder directamente à bilheteira específica para cada sessão no link junto da informação de cada filme. Depois da exibição dos filmes, podem encontrar aqui a apreciação/crítica e classificação a cada um. Podem também consultar a programação da Sala 2 aqui.

2ª FEIRA, 4 de Março

15:00 ✦ “Pandemonium”
Fantasporto 2024 - Pandemonium

Quarxx – 95´ França CF – horror fantástico, v.o., leg ingl, leg. port | Bilheteira

Um acidente. Um carro está virado numa estrada no meio da montanha. Dois homens encontram-se e chegam à conclusão de que um deles causou a morte do outro. Que fazer agora? Duas portas enigmáticas se abrem. Qual escolher? Qual os deixará passar? Uma história sobre o Mal, monstros, o Inferno e crianças sinistras. Um filme intrigante e perturbador de um realizador premiado. Selecção do Festival de Sitges.

Apreciação: “Pandemonium” começa de forma intensa e interessante, depois de um acidente em que morrem duas pessoas, que estabelecem um longo diálogo ‘post-morten‘. E aqui o filme brilha, com estas duas personagens perdidas, com abordagens diferentes à sua nova condição, e que vão tentando perceber o que essa condição implica. Se fosse hora e meia disto eu não me importava nada. A fotografia é excelente, a estrada onde se encontram tem uma paisagem magnifica e os diálogos são extremamente interessantes e que caracterizam muito bem as personagens (interpretadas por excelentes actores). O problema é que o filme dá um passo maior do que a perna, e começa a mostrar diferentes situações que lavam ao mesmo destino do que aquelas personagens a que nos estávamos a afeiçoar. São estórias diferentes, com personagens diferentes, que são interessantes, sim, mas que fragmentam o filme (sem que se perceba muito bem porquê). O filme é sempre bem executado, não é isso que está em causa, mas a partir da cena de abertura torna-se um mosaico sem muito sentido e vai fazendo revelações sobre o desconhecido que são excessivas, puramente especulativas e tornam o produto final desinteressante. Se fosse uma curta apenas com a primeira parte, seria um filme cinco estrelas.

Classificação: ½★★

17:00 ✦ “Strange Path” / “Estranho Caminho”
Fantasporto 2024 - A Strange Path

Guto Parente – 83’ (Bras) SR – drama, fantástico –  v.o. port, leg ingl | Bilheteira

Um jovem cineasta brasileiro residente em Portugal vai ao Brasil para a estreia do seu filme. No entanto, é apanhado pelas restrições impostas pela pandemia. O festival é cancelado, as viagens proibidas e a namorada em Lisboa desespera. Para aproveitar o tempo, e em dificuldades, procura o pai de quem há muito tempo nada sabe. Mas nem assim a vida se torna mais fácil. Este filme brasileiro, uma lição de humanidade e amor, vem de um cineasta já com mais de vinte prémios internacionais. Selecção dos festivais de Nashville, San Sebastián, Varsóvia e Tribeca de Nova Iorque, onde recebeu 4 prémios, entre os quais Melhor Argumento e Melhor Actor.

Apreciação: “Estranho Caminho” é um belíssimo drama familiar situado em pleno ínicio de pandemia, em que um jovem realizador se reconcilia com o seu passado. Tem excelentes interpretações (incluindo da ‘nossa’ Rita Cabaço) e uma fotografia interessante, que sem ser muito brilhante, capta o tom realista e soturno da narrativa, conseguindo a espaços momentos de grande beleza e intensidade dramática. Parente evita cair no melodrama fácil e tempera o filme com um humor irrepreensível no timing e no tom, tornando a estória mais agradável e ao mesmo tempo envolvente, sem deixar de nos esconder parte do jogo que, quando revelado, põe tudo o resto numa diferente perspectiva. Uma das boas surpresas do Fantasporto 2024.

Classificação: ★

18:45 ✦ “The Universal Theory”
Fantasporto 2024 - The Universal Theory

Timm Krõger – 118’ CF- fantástico, v.o., leg ingl, leg port | Bilheteira

No ano de 1962, nos Alpes, realiza-se um congresso de Física. Um jovem cientista, com provas ainda não dadas, é convidado a participar pelo seu mentor. Uma nuvem estranha se desenvolve no céu. E misteriosos homens de chapéu movem-se ameaçadores. O que se passa nas entranhas das montanhas? Este filme foi premiado no Festival de Sitges com o Prémio da Crítica e selecionado para os festivais de Veneza onde foi Prémio Bisato d’Oro para Melhor Filme, e Festival de Chicago.

Apreciação: O cinema húngaro nunca desaponta no Fantasporto, e atrevo-me a dizer que esta malta não sabe fazer maus filmes. Neste caso, é um thriller neo-noir, com travos de Hitchcock, que apenas peca em dois pontos: a narrativa arrasta-se um bocado no segundo acto (quase ao ponto de se tornar enfadonha) e a fotografia a preto-e-branco a aludir descaradamente ao noir clássico torna-se um pouco cansativa. Fora isso, é um bom thriller, com boas ideias e interpretações, com um argumento que, apesar de poder ser mais pragmático, tem as reviravoltas certas para nos surpreender devidamente, como é apanágio do género.

Classificação: ½

21:15 ✦ “The Forbidden Play”
Fantasporto 2024 - The Forbidden Play

Hideo Nakata – 110’- (Jap) CF/OE – horror, fantástico, v.o., leg ingl, leg. port | Bilheteira

Imagens de uma família feliz. O filho pequeno mostra ao pai a cauda de uma lagartixa. Diz o pai que se a enterrar no jardim, o lagarto ressuscita. Mas nada é tão simples quando a mãe morre e o filho repete o procedimento. Uma curiosa jovem realizadora vai tentar saber o que se passa com aquela família e não há nada de vulgar. Misterioso e inquietante como só o cinema japonês sabe ser. O filme é o mais recente do celebrado e premiado mestre do Horror, o realizador Hideo Nakata que foi responsável por “The Ring”, entre outros.

Apreciação: Nakata continua a tentar repetir o êxito de “The Ring”, mas limita-se apenas a fazer variações do mesmo filme. Há até alusões descaradas ao mesmo; os demónios comunicam por telefone, a personagem demoníaca é muito semelhante à Samara do filme original (e até tem movimentos parecidos) e tudo resto gira em volta do mesmo, uma maldição sobre as personagens principais. Tudo o resto são os clichés do género, como alguém que tenta fazer um ente querido regressar à vida, mas é tudo tão denunciado e previsível que nunca nos chega a fazer sentir medo ou ansiedade, apenas um desapontante sentimento de dejá-vú.

Classificação: ½★★

23:30 ✦ “Jour de Merde”
Fantasporto 2024 - Jour de Merde

Kevin T. Landry – 91’(Can) CF – thriller, horror, v.o., leg ingl, leg port | Bilheteira

Uma mulher em crise com ex-marido leva o filho adolescente para uma entrevista de trabalho nas montanhas. Tem de a fazer para conservar o emprego. O entrevistado é um homem que vive isolado que acabou de ganhar a lotaria. Muito estranhamente, o homem não quer fazer a entrevista nem receber o dinheiro. Uma muito intrigante história, escrita pelo realizador, que nos apresenta problemas muito sérios e que se desenvolve sempre de modo a surpreender o espectador. Este filme foi selecção do Fantasia Festival e do Festival de São Paulo, tendo sido Prémio do Júri no Edmonton Film Festival. Esta é a primeira longa-metragem do realizador.

Apreciação: Jour de Merde começa como um drama familiar pontuado com algum humor, até que se revela noutra coisa completamente diferente. Há aqui uma base sólida, de construção de boas personagens, com profundidade e problemas reais, bons diálogos e situações envolventes, que nos vão criando afecto (e num caso, repulsa) pelas personagens. Depois o filme muda e, graças à parte do drama, o filme cresce em tensão e até divertimento, pois a pontuação humorística continua e adequa-se bem à mudança de género. E, já me ouviram falar muito mal dos clichés, mas este é um daqueles casos raros que provam que os clichés o são por uma razão, porque resultam quando são bem executados. Por último, há aqui uma coisa que me agrada: criatividade para contornar um baixo orçamento. Jour de Merde é, acima de tudo, um competente divertimento alicerçado em assuntos sérios.

Classificação:

3ª FEIRA, 5 de Março

15:15 ✦ “The Complex Forms”
Fantasporto 2024 - The Complex Forms

Fabio D’Orta – 74’ (Ita) – INTERNATIONAL PREMIERE – Ficção Científica – CF- sci-fi, horror,  v.o., leg ingl, leg. port | Bilheteira

Um homem entra num palácio isolado depois de vender a sua vida por uns anos numa experiência em que será “possuído”. Nessa mansão conhece os seus companheiros, todos homens sós. No entanto, os seres que os irão possuir são criaturas estranhas e fabulosas. Serão extra-terrestres? O cinema do fantástico no seu melhor, num exercício original e ao mesmo tempo homenageando o cinema clássico, num rigoroso preto e branco em que o realizador foi também director de fotografia. Primeira longa-metragem do realizador.

Apreciação: Filme sombrio (no tom narrativo), artístico, muito bem realizado, com um ritmo lento mas apropriado e muito tenso. Há aqui muitas referências ao cinema clássico de terror e ficção ciêntifica, mas também ao film noir e à espionagem. É servido por uma belíssima (e assombrosa) fotografia a preto-e-branco, que não é meramente circunstancial, serve a narrativa e intensifica-a. Um dos grandes filmes fantásticos do Fantasporto 2024, a provar que para se ser grande não é preciso além dos 74 minutos.

Classificação:

17:00 ✦ “Goliath”
Fantasporto 2024 - Goliath

Adilkhan Yerzhanov – 93’-  Retrospectiva Cazaquistão | SR/OE- drama,  v.o. leg ingl, leg. port | Bilheteira

Na estepe do Cazaquistão, uma surpreendente adaptação de Maquiavel e a sua teoria sobre o poder e como o obter. Esta é a luta e na vingança de um homem, Arzu, a quem mataram a mulher. O chefe dos criminosos a quem todos se submetem, é confrontado com a ira deste homem, um ex-soldado inválido que lhe vai mostrar a força dos mais fracos. Um magnífico exemplo do cinema emergente deste país e de um realizador multipremiado. Selecção do Festival de Veneza.

Apreciação: O cinema do médio oriente é presença esporádica no Fantas, mas consegue sempre impressionar pela sua qualidade e ritmos narrativos ao serviço da sua intensidade. Mais, ninguém como eles para saber onde colocar uma câmara e movimentá-la com contexto narrativo. “Goliath” é mais um bom exemplo disso, numa estória com gangsters no deserto que, apesar de ir buscar inspiração a muita coisa e poder ser um pouco cliché em algumas partes do argumento, não se parece com nada que tenhamos visto vindo de outras cinematografias.

Classificação: ½

18:45 ✦ “Lost in the Stars”
Fantasporto 2024 - Lost in the Stars

Cui Rui, Liu Xiang – 121’ (China) SR/OE- triller, acção, v.o., leg ingl, leg. port | Bilheteira

Um homem grita numa esquadra de polícia e ninguém lhe liga. Diz ele que a mulher desapareceu há muitos dias e que ninguém quer saber. Até que um polícia parece acreditar nele. Conta-lhe, então, que a mulher que tem em casa não é a sua mulher. Mas será a investigação de uma advogada que vai descobrir o que realmente aconteceu. Um argumento intricado, cheio de momentos de acção e revelações inesperadas. Uma das maiores produções do ano do cinema chinês, já com prémios internacionais. Filme vencedor do Golden Crane Award (Melhor Filme e Melhor Actriz) e do Golden Angel Award do Chinese American Film Festival. Selecção do Festival de Shanghai.

Apreciação: “Lost In The Stars” parte de uma premissa muito interessante e consegue construir uma narrativa envolvente e misteriosa. O problema é que a desperdiça numa sucessão de clichés e num terceiro acto desastroso, com um tom melodramático inusitado. Tem bons valores de produção e um elenco bastante competente, mas estica-se demasiado ao ponto de se tornar enfadonho.

Classificação:

21:15 ✦ “The Witch Game”
Fantasporto 2024 - The Witch Game

Fabián Forte – 86’ – Argentina CF- horror fantástico, v.o., leg ingl, leg port | Bilheteira

Com a qualidade a que o cinema argentino nos habituou, sobretudo no que toca ao cinema fantástico, este é filme a não perder. Uma jovem de 18 anos, viciada em jogos digitais, ignora a família e o bolo que os pais e a irmã lhe querem oferecer no dia dos anos. Em vez disso, prefere experimentar um jogo que lhe foi deixado à porta de casa misteriosamente. Inicia, assim, o seu caminho até se tornar numa poderosa bruxa numa mansão virtual onde tem 3 guias para a ajudarem. Uma grande produção sem as subtilezas de um Harry Potter, vindo de um dos mais premiados realizadores do Fantástico.

Apreciação: No Fantasporto, já vimos películas de terror vindas da Argentina bastante interessantes e satisfatórias, mas infelizmente este não é o caso. “The Wich Game” prometia uma fusão de tecnologia com bruxas e demónios, mas acaba por provar que a coisa não funciona quando não há um pingo de imaginação. A tecnologia é só um (falso) pretexto introdutório e o resto é uma sucessão de clichés colados com cuspo, denunciados e desinteressantes, tal como as personagens, com quem não conseguimos ter qualquer tipo de afinidade. Apesar de curto, parece ter o dobro da duração, e é uma perda de tempo.

Classificação:

23:00 ✦ “From the End of the World”
Fantasporto 2024 - From the End of the World

Kazuaki I Kiriya – 135’ (Jap) CF/OE – sci-fi, fantástico, v.o., leg ing, leg. port | Bilheteira

Em fabulosas viagens no tempo, desde os samurais até ao presente, a jovem Hana, infeliz e atormentada no presente, vai encontrar o seu papel no mundo. Um dia, sonha sobre uma jovem que viveu numa era do passado. Quando acorda, é levada por misteriosos agentes do governo que estão convencidos que os seus sonhos podem salvar o mundo. Um surpreendente tratamento de imagem mergulha-nos numa narrativa que nos leva, até, ao futuro. Com excelentes interpretações, especialmente da jovem Aoi Ito.

Apreciação: “From The End Of The World” tem uma premissa interessante, e é extremamente bem realizado, fotografado e interpretado. As mudanças de tom nos diferentes tempos em que a narrativa acontece são muito bem conseguidas e visualmente apelativas. Há planos deste filme que apetece emoldurar e pendurar na parede. O problema é que depois o filme se baralha a ele próprio, arrasta-se demasiado no segundo acto e parece perder o rumo, acabando por encontrar uma solução satisfatória no final. Ficou-me a sensação que precisava de mais edição, quer na fase de escrita, quer de pós produção.

Classificação:

4ª FEIRA, 6 de Março

15:15 ✦ “Supporting Actors”
Fantasporto 2024 - Supporting Actors

Árpad Sopsits – 110’ (Hun) – Retrospectiva Visions of Hungarian Cinema | SR- drama, v.o., leg ingl, leg. port | Bilheteira

Este drama social conta as histórias paralelas de 3 famílias na Hungria rural dos dias de hoje. Acompanhamos as histórias de Árpad, um rico homem de negócios, a mulher Franciska, a filha Babita, um fotógrafo chamado Gábor, a artista cerâmica sua namorada, Edina, e um padre que trabalha na prisão. Os seus destinos estão ligados. Muitos vivem ainda ou viveram na mesma cidade e as suas vidas são determinadas pelos segredos e crimes que se vão revelando durante um período de dez anos.

Apreciação: A premissa do filme é a de que todos somos actores secundários nas vidas daqueles com quem nos cruzamos. Com este interessante ponto de partida, Sopsits constrói um intrincado drama familiar que se vai desenrolando como se de um mistério se tratasse, com vários personagens que têm influência na narrativa uns dos outros. Com interpretações muito sólidas (incluindo do próprio Sopsits), uma inspirada fotografia do principiante Tímár Gergely e um argumento bem elaborado, Supporting Actors é mais uma prova da qualidade do cinema Húngaro a passar pelo Fantasporto.

Classificação:

17:30 ✦ “Papa Mascot”
Fantasporto 2024 - Papa Mascot

Luisito Lagdameo Ignacio – 94’ (Filipinas) SR/OE- drama, v.o., leg ingl, leg port | Bilheteira

Nicole, de 7 anos, tem leucemia. O pai, Nico, que claramente adora a criança, procura ajuda para curar a filha que está no hospital. E quando deixa de ter dinheiro, retira-a às escondidas. Perseguido pela polícia, a menina recuperada, chega-se à conclusão de que a criança foi raptada há anos. Retratos de vingança e ternura, mesmo por caminhos tortuosos. Mais um filme de Luisito Lagdameo, realizador premiado no Fantasporto por “Laut” (2016) e “School Service” (2019).

Apreciação: Luisito Lagdameo Ignacio é um habitué do Fantasporto e um dos responsáveis pelo bom nome que a cinematografia Filipina tem além fronteiras. Papa Mascot é mais um bom exemplo de que uma boa estória, servida por bons actores e com temas universais, independentemente da cultura, resultam. Mas o maior feito de Ignacio neste filme é a forma como nunca o deixa resvalar para o melodrama (como já vimos várias vezes nesta edição em filmes de cinematografias bem mais conceituadas), o que seria fácil, já que o filme gira em torno de uma criança com leucemia. Papa Mascot tem drama (pesado), tem comédia e crime, sem nunca nada parecer forçado ou inusitado. Mais, o cinema de Ignacio é tão realista que, grande parte das vezes, confundimos a sua ficção com documentário.

Classificação: ★★

19:15 ✦ “Shadow Of Fire”
Fantasporto 2024 - Shadow Of Fire

Shinya Tsukamoto – 95’ (Japão) SR /OE- drama, v.o., leg ingl, leg port | Bilheteira

Um dos “enfants terribles” do cinema japonês, Shin’ya Tsukamoto veio ao Porto em 1992 e fez tremer o público do Fantasporto com a sua saga “Tetsuo”. Agora, anos mais tarde e com grande reconhecimento internacional, volta num registo totalmente diferente. Esta é a saga de um menino que assiste ao horror de um mundo que se desmorona à sua frente, sempre à procura da sobrevivência e do calor humano. O ponto de vista dos cidadãos vulgares quando a guerra acaba com a paz. Selecção do festival de Veneza onde venceu o Net Pac Award em 2023.

Apreciação: Mais um sólido filme japonés, diferente daquilo que geralmente estamos à espera. Começa como um drama minimalista, quase teatral, que se vai alargando para um retrato da sociedade pós-guerra, sob os olhos de uma criança só. Tem momentos de rara beleza e de enorme tristeza, mas termina com contido optimismo. Tem o problema de arrastar a narrativa esporadicamente, muitas vezes para um efeito dramático que o filme não precisava e nem sempre resulta. Fora isso é uma das propostas japonesas mais interessantes desta edição.

Classificação: ½

21:15 ✦ “Halfway Home”
Fantasporto 2024 - Halfway Home

Isti Madarász – 104’ (Hun) CF | Retrospectiva Visions of Hungarian Cinema- fantástico, v.o. leg ingl, leg. port | Bilheteira

Christian, um homem de vinte e poucos anos, ainda anda à procura de um rumo para a sua vida. Com um emprego novo como guarda da noite de uma morgue, ignora que os mortos não estão calmos durante o seu turno. Todos têm um assunto inacabado a tratar e não podem passar ao estádio seguinte sem se livrarem desse peso. Na cave sinistra, o Agente Funerário, uma criatura monstruosa, tenta tudo para os fazer cair nas suas garras. Mais um belo exemplo do Fantástico húngaro, tantas vezes premiado no Fantasporto. Segunda longa-metragem do realizador de “Loop”, apresentado no Fantasporto em 2017 e candidato ao Prémio Méliès. “Half-Way Home” está em competição na S.O. Cinema Fantástico do Fantasporto 2024.

Apreciação: Este é um filme que não me inspirava muita confiança pelo material promocional, mas realmente os Húngaros não brincam quando vêm ao Fastasporto. “Halfway Home” acaba por ser uma das melhores propostas do cinema fantástico desta edição, pela forma como a sua intricada narrativa serve uma premissa tão básica como a de um jovem que vai trabalhar como guarda-nocturno numa morgue em que os mortos se levantam à meia noite para conviver. O filme começa com um tom jovial, de comédia romântica e inusitada mas consegue mantê-lo, mesmo quando o filme se torna mais sério e fatalista. E tudo aqui é bom ao nível do argumento, com momentos kitch que nos fazem revirar os olhos, até ao momento em que percebemos que têm um papel importante no desenrolar da estória. E é este constante desarmamento do espectador, de quebra das suas reservas, que torna o filme cada vez mais empolgante e envolvente. E caramba, tem uma cabra com óculos, o que é que querem mais?

Classificação:

23.30 ✦ “The Floor Plan”
Fantasporto 2024 - The Floor Plan

Junichi Ishikawa – 110´ – (Japão) CF/OE- ANTESTREIA MUNDIAL- horror fantástico, v.o., leg ingl, leg port | Bilheteira

Amemiya é um Youtuber que se especializou no oculto. Quando o seu orientador lhe traz uma planta de uma casa para observar, repara que a casa apresenta compartimentos que não são lógicos, como se os donos quisessem esconder alguma coisa tenebrosa ou alguém. Quem? O quê? A imaginação está à solta. Entretanto, a vizinhança começa a contar histórias e uma mulher, Yuzuki, contacta o Youtuber. Juntos irão revelar o mistério da casa. O horror japonês no seu melhor.

Apreciação: E foi em enorme apoteose que a montanha pariu um rato. “The Floor Plan” foi o evento mediático desta edição do Fantasporto, com uma enorme equipa japonesa presente, uma antestreia mundial de prestigio, e o filme não tem ponta por onde se lhe pegue. É inverosímil, absurdo, com avanços na estória sem qualquer lógica e uma fotografia básica e muitas vezes confusa. Tem por base mais uma maldição, mas está longe de ser assustador porque nunca chega a ser convincente. E alguém me explica de onde saiu aquela velha com a motosserra e para onde foi depois? Pois…

Classificação:

Que filmes estão a pensar ir ver nesta edição do Fantasporto, e qual vos chama mais a atenção?

Parte 1 da programação do Fantasporto 2024.

Parte 3 da programação do Fantasporto 2024.

Deixe um comentário